O direito de saber para o consumo consciente

O que são Transgênicos?

Os organismos geneticamente modificados (OGMs), ou transgênicos, são aqueles que têm genes de qualquer outro ser vivo inseridos em seu código genético. O objetivo é incorporar ao organismo, seja ele animal ou vegetal, uma nova característica, por meio da transferência de um ou mais genes presentes em outro. Pode-se, com essa tecnologia, inserir genes de ratos em seres humanos, de vírus, fungos ou bactérias em sementes de soja e assim por diante…

Os Transgênicos e a Saúde Humana?

Quase não foram realizados estudos para avaliar os efeitos dos transgênicos na saúde do consumidor e no meio ambiente, porém, os poucos experimentos evidenciam sérios indícios para a saúde humana. Mesmo os médicos e cientístas têm dúvidas e divergem quanto aos riscos envolvidos nesta prática, tanto para o consumidor como para seus descendentes.

Os Transgênicos e a Economia

Pesquisas recentes mostram que cerca de 80% da população européia é contra o consumo de alimentos transgênicos, por isso, a maioria dos governos europeus proibiu sua comercialização e cultivo.

Devido á grande disponibilidade de solo agricultável e a tradição do cultivo de alimentos não-transgênicos, o Brasil ocupa lugar de destaque no mercado de exportações, e tem uma chance rara de tornar-se o líder mundial na produção de alimentos orgânicos.

Em contrapartida, as sementes transgênicas são patenteadas pelas empresas que as desenvolveram, ou seja, é estabelecido um monopólio do que hoje é abundante em nosso país.

Os Transgênicos e o meio Ambiente

Devido à falta de estudos conclusivos, é impossível determinar as conseqüências da introdução de organismos transgênicos no meio ambiente. Porém, o pouco que se sabe, aponta para enormes riscos de perda de biodiversidade, a maior riqueza que podemos legar às futuras gerações de brasileiros.

Direito do Consumidor

A despeito da legislação vigente, a grande maioria dos produtos que contêm transgênicos, não são rotulados, inibindo a possibilidade de escolha do consumidor.

ALIMENTOS QUE PODEM SER TRANGÊNICOS

Adams

Ajinomoto

Amélia (Vigor)

Aro (Makro)

Belcook

Café do ponto

Cyclus (Bunge)

Delícia (Bunge)

Dizioti

Duitt

Franciscano

Garoto

Mesa (vigor)

Primor (Bunge)

Arosa

Kellog’s

Knorr

Leco (Vigor)

Liza (Cargill)

Luppini

Melita

Mila (Bunge)

Olivares

Pescal

Pullman

Adrià

All Day (Bunge)

Ana Maria (Pullman)

Oliva (Cargill)

Quero

Mazola (Cargill)

Cadbury

Carmelita (Vigor)

Dan Top

Diet Shake (Nutrilatina)

Dona Benta

Ebicen

Frescarini

Hemmer

La Table D’or

Linea

Lu (Arcor)

Pastitex

Halls

Referências:

http://eticadaterra.com/transgenicos.php

CONSEA-SP

CRESANS

Entidades de Segurança Alimentar do Estado de São Paulo

Atualmente encontramos diversos alimentos com matéria prima à base de transgênicos e desde 2003 existe no Brasil o decreto de rotulagem (4680/2003), que obrigou empresas da área da alimentação, produtores, e quem mais trabalha com venda de alimentos, a identificarem, com um “T” preto, sobre um triangulo amarelo, o alimento com mais de 1% de matéria-prima transgênica.A resistência das empresas foi grande, e muitas permaneceram sem identificar a presença de transgênicos em seus produtos. O Ministério Público Federal investigou e a justiça determinou que as empresas rotulassem seus produtos, o que começou a ser feito a partir de 2008. A rotulagem de produtos transgênicos é um direito básico dos consumidores. Todos nós temos o pleno direito de saber o que consumimos.A leitura de rótulos é muito importante para identificar alimentos com o menor índice de aditivos químicos preservando nossa saúde e também perceber se na embalagem existe o selo de identificação de transgênicos, que muitas vezes está bem pequeno e no cantinho. É verdade, temos transgênicos no mingau do bebe, nos óleos de soja, milho e algodão. Interessante saber também que a canola é uma planta transgênica. A alternativa é o óleo de girassol ou o azeite de oliva para quem quer consumir produtos não transgênicos.Uma alimentação orgânica certificada ainda é o que podemos fazer de melhor para fugir dos transgênicos, agrotóxicos, promotores de crescimento e aditivos químicos. O objetivo deste texto é alertar que é preciso tomar uma posição, seja quanto à informação, à alimentação, ao Meio Ambiente ou à maneira como somos tratados pelas Empresas. Compromisso e respeito são essenciais em todas as relações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =